Edelman

Estudos e Pesquisas

Edelman Trust Barometer 2019 revela que os brasileiros confiam mais no seu empregador do que nas instituições tradicionais

Enquanto Governo e Mídia estão no patamar da desconfiança e ONGs e Empresas são consideradas neutras, o “Meu Empregador” subiu 5 pontos, alcançando os 77%, de acordo com estudo global

Em sua 19ª edição, o EDELMAN TRUST BAROMETER 2019 revela que o Governo, apesar de ter subido 10 pontos em período eleitoral, alcançando 28% no nível de confiança (0-100), e a Mídia, que caiu 2 pontos e agora está com 41%, ainda são instituições não confiáveis na opinião dos brasileiros. O estudo mostra também que as ONGs, cujo nível de 57% não oscilou no último ano, e as Empresas, que foram de 57% para 58%, são consideradas neutras no quesito. Por outro lado, seguindo forte tendência global, a figura do “meu empregador” subiu 5 pontos no País, alcançando a marca dos 77% e reinando como a mais confiável. De acordo com a pesquisa, instituições com níveis de 1-49 são consideradas não-confiáveis, de 50-59, neutras, e de 60-100, confiáveis. “Temos observado importantes quedas na confiança nas instituições ONGs, Empresas, Governo e Mídia, enquanto a confiança no empregador cresce no Brasil e no mundo”, contextualiza Cristina Schachtitz, vice-presidente da Edelman. “Com a queda da confiança nos sistemas de busca e nas redes sociais, as pessoas têm se voltado cada vez mais para as pessoas que conhecem e com quem se relacionam, o que inclui seus empregadores”, completa.

Realizado pela Edelman, agência global líder em Relações Públicas, o estudo mede os índices de confiança no Governo, Empresas, ONGs e Mídia. Nesta edição, a pesquisa ouviu mais de 33 mil pessoas em 27 países, com o trabalho de campo realizado entre 19 de outubro e 16 de novembro de 2018.

O cenário de desconfiança se torna ainda mais negativo quando a descrença e o medo entram em jogo. No Brasil, 74% da população geral e 78% do público informado sentem falta de confiança e 74% da população geral e 77% do público informado sentem-se injustiçados pelo sistema e manifestam desejo de mudança. O desemprego é um receio generalizado, com 73% dos empregados brasileiros preocupados em perder o emprego por “não ter a formação e as competências necessárias para ter um trabalho que pague bem”.

Nesse contexto, as pessoas esperam que os CEOs liderem melhorias sociais. Setenta e três porcento dos brasileiros afirmam que esses executivos deveriam promover mudanças ao invés de esperar que o governo as imponha (13% a mais do que no ano anterior) e 78% acreditam que “uma companhia pode tomar atitudes que aumentem os lucros e, ao mesmo tempo, melhorem as condições econômicas e sociais nas comunidades onde opera”. Além disso, 65% dos brasileiros concordam que os CEOs podem gerar mudanças positivas em relação à Igualdade Salarial, 61% em relação ao Preconceito e Discriminação, 61% em relação à Formação para Empregos Futuros, 57% em relação ao Meio Ambiente, 53% em relação à Informações Pessoais, 48% em relação às Fake News e 44% em relação ao Assédio Sexual.

Quando são consideradas confiáveis, as empresas são recompensadas pelos empregados brasileiros com maior defesa (83%), engajamento (77%), lealdade (75%) e comprometimento (86%). “Os dados mostram uma nova dinâmica no relacionamento entre empregado e empregador, com os executivos sendo chamados a construir confiança de dentro para fora”, diz Martin Montoya, CEO da Edelman Brasil. “Para isso, as empresas devem seguir quatro caminhos: liderar a mudança, empoderar os empregados, atuar localmente para o bem de suas comunidades e ter CEOs comprometidos com os valores das companhias”

Outros destaques do Edelman Trust Barometer 2019 – Brasil:

– O desejo de mudança mobilizou os brasileiros na busca por informações, resultando em um aumento no consumo de mídia (25%) e no compartilhamento de notícias (58%) de 22 pontos.

– A confiança na mídia tradicional (63%) cresceu 1 ponto, enquanto nos mecanismos de busca (72%) caiu 4 e nas redes socias (47%) caiu 5.

– A confiança aumentou em todos os 15 setores pesquisados. Os mais confiáveis são Tecnologia (87%), que subiu 1 ponto e segue líder. O menos confiável é Saúde (59%), apesar da alta de 8 pontos.

– Globalmente, as marcas países menos confiáveis ​​são México (35%), Índia (39%), Brasil (39%) e China (40%). Para os brasileiros, empresas com sede no Japão (80%), Suíça (78%) e Canadá (78%) são as mais confiáveis.

– A credibilidade da pessoa comum cresceu 4 pontos, atingindo 74%, e segue na liderança. Logo em seguida, vem o especialista técnico da companhia (67%), com 3 pontos a mais do que no ano passado.

– Em termos globais há um importante gap de 14 pontos entre a confiança do público informado (64%) e a da população geral (50%). A maior diferença está no Reino Unidos (24 pontos). No Brasil, o gap é de 8 pontos (público informado 51% – população geral – 43%).


Acesse o estudo completo aqui.


Assista ao vídeo do lançamento abaixo:


Mais informações à imprensa:

Claudia Jordão
claudia.jordao@edelman.com
11 3066.7782
Isabela Galeote
11 3060.3102
isabela.galeote@edelman.com


Sobre o Edelman Trust Barometer
O Edelman Trust Barometer 2019 é a 19ª edição da pesquisa anual de confiança e credibilidade. O estudo foi realizado pela agência de pesquisa Edelman Intelligence e é o resultado de entrevistas online feitas entre 19 de outubro e 16 de novembro de 2018. O levantamento online do Trust Barometer 2019 foi realizado com +33 mil pessoas em 27 países. Todo o público informado atendeu aos seguintes critérios: faixa etária 25-64 anos; nível superior; renda familiar no quartil mais alto em sua faixa etária de cada país; lê ou assiste a mídias de notícias/negócios pelo menos algumas vezes por semana e acompanha questões de políticas públicas no noticiário várias vezes por semana.

Sobre a Edelman Brasil
Agência global líder em Relações Públicas, a Edelman é parceira de grandes empresas e organizações, contribuindo para construir, promover e proteger suas marcas e reputação. Desenvolve soluções únicas para clientes integrando suas especialidades: Planejamento; Pesquisa e Analytics; Atitude de Marca; Criação e Conteúdo; Mídias Sociais, Mídia Paga, Imprensa e Influenciadores, Engajamento Interno, Public Affairs e Crise. Dessa forma, mescla estratégia e criatividade para definir e disseminar narrativas em múltiplas plataformas a partir de um conceito que denomina Communications Marketing. Fundada em 1952, tem mais de 5 mil colaboradores em 65 escritórios em todos os continentes. No Brasil, são 200 profissionais em São Paulo e Rio de Janeiro, além de representação em Brasília. Desde 2014, vem conquistando prêmios no Festival Internacional de Criatividade Cannes Lions. Foi nomeada “Global Agency of the Year” pelo Holmes Report, em 2016, e esteve entre um dos “Creative Inovator Standouts” da Advertising Age, em 2017. No mesmo ano, figurou na “LinkedIn Top Companies”, lista de empresas mais reconhecidas por profissionais. No Brasil, foi eleita Agência do Ano no Prêmio Jatobá 2017 e ficou entre as 3 agências mais admiradas do país no TOP Mega Brasil de Comunicação Corporativa em 2015 e 2016. Seus trabalhos foram reconhecidos nos prêmios Festival Internacional de Criatividade Cannes Lions, Latin American Excellence Awards, Sabre Awards Latin America, Prêmio Aberje, Prêmio Jatobá e Prêmio POP.

Fale Conosco

Edelman quer ouvir você.